Página InicialGruposDiscussãoMaisZeitgeist
Pesquisar O Sítio Web
Este sítio web usa «cookies» para fornecer os seus serviços, para melhorar o desempenho, para analítica e (se não estiver autenticado) para publicidade. Ao usar o LibraryThing está a reconhecer que leu e compreende os nossos Termos de Serviço e Política de Privacidade. A sua utilização deste sítio e serviços está sujeita a essas políticas e termos.
Hide this

Resultados dos Livros Google

Carregue numa fotografia para ir para os Livros Google.

A Monster Calls: Inspired by an idea from…
A carregar...

A Monster Calls: Inspired by an idea from Siobhan Dowd (edição 2013)

por Patrick Ness (Autor), Jim Kay (Ilustrador)

MembrosCríticasPopularidadeAvaliação médiaMenções
4,5414161,914 (4.39)381
Thirteen-year-old Conor awakens one night to find a monster outside his bedroom window, but not the one from the recurring nightmare that began when his mother became ill--an ancient, wild creature that wants him to face truth and loss.
Membro:Samantha.Picurro
Título:A Monster Calls: Inspired by an idea from Siobhan Dowd
Autores:Patrick Ness (Autor)
Outros autores:Jim Kay (Ilustrador)
Informação:Candlewick (2013), Edition: Reprint, 224 pages
Colecções:A sua biblioteca
Avaliação:
Etiquetas:chapter book, bullying, cancer, grief, fantasy, fiction, death, loss, monster, nightmares

Pormenores da obra

A Monster Calls por Patrick Ness

Adicionado recentemente porVeronicaBox, Rennie80, biblioteca privada, Jonesy_now, kayceeb, Klcummings, MistehkinsTM, sanchita19
  1. 70
    The Graveyard Book por Neil Gaiman (kaledrina)
  2. 41
    O Principezinho por Antoine de Saint-Exupéry (faither)
  3. 20
    The Invention of Hugo Cabret por Brian Selznick (kaledrina)
  4. 20
    Skellig por David Almond (Ciruelo)
    Ciruelo: Each book features a young adult facing a crisis and helped through this time by a supernatural being.
  5. 10
    A Christmas Carol por Charles Dickens (keremix)
    keremix: I don't wanna give spoilers, but for me it was hard to miss the things these two books have in common.
  6. 10
    I Kill Giants por Joe Kelly (nsblumenfeld)
    nsblumenfeld: One's a novel, the other a comic, but both are excellent and devastating stories of grief.
  7. 10
    The Silver Kiss por Annette Curtis Klause (kaledrina)
  8. 00
    Tinder por Sally Gardner (Nickelini)
  9. 00
    DODO por Felipe Nunes (elenchus)
    elenchus: Ness's A Monster Calls and Nunes's Dodo share a broadly similar premise, and a serious consideration of the world as seen by hurt children. Dodo is perhaps suitable for younger readers, but both books are not cartoon-y nor simplistic. The aesthetics styles are distinct, too, though the use of dreamscapes and analogues are similar.… (mais)
  10. 00
    Jellaby por Kean Soo (elenchus)
    elenchus: A Monster Calls and Jellaby share a similar premise, as well as thematic concerns with isolation and childhood depression. They're each illustrated, but the words are as important as the images (and vice versa), and though they treat of sobering concerns, are ultimately good-hearted and optimistic.… (mais)
  11. 00
    Milo: Sticky Notes and Brain Freeze por Alan Silberberg (fountainoverflows)
A carregar...

Adira ao LibraryThing para descobrir se irá gostar deste livro.

Ainda não há conversas na Discussão sobre este livro.

» Ver também 381 menções

Inglês (402)  Espanhol (4)  Catalão (3)  Italiano (2)  Alemão (1)  Francês (1)  Holandês (1)  Húngaro (1)  Todas as línguas (415)
Mostrando 1-5 de 415 (seguinte | mostrar todos)
I was intrigued by all the adoration reviews of this book, and how I should be prepared to bawl my eyes out at the end.

I don't know. Maybe it was me, but I found the story too focused on Conor to ever build up enough empathy for his mother, so the ending, to be honest, fell a little flat for me.

The story was good. But not great.

It was only when I finished reading it that I clued in that it's the basis for the movie that's out now. I had little desire to see it originally, and even less so now.

Again, maybe it's just me being a cold, unfeeling bastard. But overall, this was just a big, fat meh for me. ( )
  TobinElliott | Sep 3, 2021 |
Talking trees. No thanks. Pass.

Note to self: This book was mentioned as an example of Unreliable Narrators - 3rd Person in this article:
https://theorangutanlibrarian.wordpress.com/2018/10/25/unreliable-narrators-diff... ( )
  Jinjer | Jul 19, 2021 |
Lo leí de un tirón. Es uno de los libros más tristes que leí. También uno de los mas lindos. ( )
  Pindarix | Jul 15, 2021 |
Patrick Ness wrote a novel developed by Siobhan Dowd about a young troubled boy, whose mother is dying of cancer. Using an ancient tree in back of his house as a metaphor, young Conor conquers his imaginary demons enabling him to deal with his grief. ( )
  skipstern | Jul 11, 2021 |
Teen/middlegrade fiction (scary monsters and sad cancer drama; school bullying and the resulting violence of a wronged, angry boy). Rated PG-13; one of the monster's stories involves two characters who 'lay nude together'; mature content involves the mom's terminal illness. This is rather too dark to be my favorite read of the year, but make no bones about it, this book is nothing short of awesome. Jim Kay's black and white illustrations are dark and brooding and edgy, perfectly balancing Patrick Ness' masterful storytelling. ( )
  reader1009 | Jul 3, 2021 |
Mostrando 1-5 de 415 (seguinte | mostrar todos)
"... it’s powerful medicine: a story that lodges in your bones and stays there." “A Monster Calls” is a gift from a generous story­teller and a potent piece of art.
adicionada por RBeffa | editarNew York Times, Jessica Bruder (Oct 14, 2011)
 
The power of this beautiful and achingly sad story for readers over the age of 12 derives not only from Mr. Ness's capacity to write heart-stopping prose but also from Jim Kay's stunning black-ink illustrations. There are images in these pages so wild and ragged that they feel dragged by their roots from the deepest realms of myth.
 
It's also an extraordinarily beautiful book. Kay's menacing, energetic illustrations and the way they interact with the text, together with the lavish production values, make it a joy just to hold in your hand. If I have one quibble, it is with a line in the introduction where Ness says the point of a story is to "make trouble". It seems to me he has done the opposite here. He's produced something deeply comforting and glowing with – to use a Siobhan Dowd word – solace. The point of art and love is to try to shortchange that grim tax collector, death. Ness, Dowd, Kay and Walker have rifled death's pockets and pulled out a treasure. Death, it seems, is no disqualification.
 

» Adicionar outros autores

Nome do autorPapelTipo de autorObra?Estado
Ness, Patrickautor principaltodas as ediçõesconfirmado
Dowd, SiobhanContribuidorautor secundáriotodas as ediçõesconfirmado
Kay, JimIlustradorautor secundáriotodas as ediçõesconfirmado
Abarbanell, BettinaTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Furtwängler, MariaNarradorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Iacobaci, GiuseppeTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Isaacs, JasonNarradorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Kay, JamesIlustradorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Kempe, Ylvaautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Krebs, BrunoTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Szabó, T. Annaautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado

Belongs to Publisher Series

Tem de autenticar-se para poder editar dados do Conhecimento Comum.
Para mais ajuda veja a página de ajuda do Conhecimento Comum.
Título canónico
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Título original
Títulos alternativos
Data da publicação original
Pessoas/Personagens
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Locais importantes
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Acontecimentos importantes
Filmes relacionados
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Prémios e menções honrosas
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Epígrafe
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
You're only young once, they say, but doesn't it go on for a long time? More years than you can bear.
Hilary Mantel, An Experiment in Love
Dedicatória
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
For Siobhan (Dowd)
Primeiras palavras
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
The monster showed up just after midnight. As they do.
I never got to meet Siobhan Dowd. (Author's Note)
Citações
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
You do not write your life with words, the monster said. You write it with actions. What you think is not important. It is only important what you do.
Últimas palavras
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Nota de desambiguação
Editores da Editora
Autores de citações elogiosas (normalmente na contracapa do livro)
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Língua original
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
DDC/MDS canónico
Canonical LCC

Referências a esta obra em recursos externos.

Wikipédia em inglês (2)

Thirteen-year-old Conor awakens one night to find a monster outside his bedroom window, but not the one from the recurring nightmare that began when his mother became ill--an ancient, wild creature that wants him to face truth and loss.

Não foram encontradas descrições de bibliotecas.

Descrição do livro
Resumo Haiku

Capas populares

Ligações Rápidas

Avaliação

Média: (4.39)
0.5
1 5
1.5
2 22
2.5 4
3 129
3.5 34
4 424
4.5 105
5 720

É você?

Torne-se num Autor LibraryThing.

 

Acerca | Contacto | LibraryThing.com | Privacidade/Termos | Ajuda/Perguntas Frequentes | Blogue | Loja | APIs | TinyCat | Bibliotecas Legadas | Primeiros Críticos | Conhecimento Comum | 162,559,113 livros! | Barra de topo: Sempre visível