Página InicialGruposDiscussãoMaisZeitgeist
Pesquisar O Sítio Web
Este sítio web usa «cookies» para fornecer os seus serviços, para melhorar o desempenho, para analítica e (se não estiver autenticado) para publicidade. Ao usar o LibraryThing está a reconhecer que leu e compreende os nossos Termos de Serviço e Política de Privacidade. A sua utilização deste sítio e serviços está sujeita a essas políticas e termos.

Resultados dos Livros Google

Carregue numa fotografia para ir para os Livros Google.

A carregar...

Fanny Hill, or, Memoirs of a Woman of Pleasure (1748)

por John Cleland

Outros autores: Ver a secção outros autores.

MembrosCríticasPopularidadeAvaliação médiaMenções
3,342583,978 (3.17)149
Erotic Literature. Fiction. HTML:

Memoirs of Fanny Hill, written in debtor's prison in 1784, is considered the first modern erotic novel in English. A young woman, Fanny Hill, is forced by poverty to go into service, but is tricked into becoming a prostitute instead. She is then saved by her love, only to have his jealous father send him from the country some months later. She moves from one lover to the next, gaining maturity with each encounter, and nearing her... happy ending.

.… (mais)
  1. 20
    The End of Obscenity: The Trials of Lady Chatterley, Tropic of Cancer and Fanny Hill por Charles Rembar (Cecrow)
    Cecrow: Explores the US trial that lifted the banning of Fanny Hill.
  2. 10
    The Memoirs of Josephine Mutzenbacher por Felix Salten (ljessen)
  3. 00
    Miss Handicock's School for Young Ladies: The Anonymous Lady J por The Anonymous Lady J (LuArcher)
    LuArcher: Satire and vintage sexual exploits about a woman's erotic freedoms and experiences and no holds barred exposure to a world of human sexuality. I think this author was really influenced (in a shorter format) by this same genre of sexual adventure and humor.
  4. 01
    Forbidden Desire por Emmanuelle de Maupassant (Utilizador anónimo)
A carregar...

Adira ao LibraryThing para descobrir se irá gostar deste livro.

Ainda não há conversas na Discussão sobre este livro.

» Ver também 149 menções

Inglês (49)  Dinamarquês (2)  Francês (2)  Italiano (1)  Norueguês (1)  Sueco (1)  Espanhol (1)  Todas as línguas (57)
Mostrando 1-5 de 57 (seguinte | mostrar todos)
A not-very-interesting novel even as a furtive teenager. ( )
  sfj2 | Apr 28, 2024 |
Suomeksi
  Viisapipa | Nov 25, 2023 |
Fanny Hill è uno di quei romanzi che mi mettono in difficoltà: da una parte l'ho trovato perfino divertente, mentre dall'altra ha messo a dura prova la mia sopportazione. Ma procediamo per gradi.

Fanny Hill è un classico della letteratura erotica, diciamo pure un porno del 1749: il suo autore, John Cleland, si ritrovò a scriverlo per guadagnare un po' di soldi da dare ai molti creditori che gli stavano con il fiato sul collo. E quale modo migliore di guadagnare soldi se non pubblicando un libro che avrebbe scatenato un putiferio e indotto un gran numero di persone a procurarselo?

Ovviamente Fanny Hill gli procurò diversi guai giudiziari, dai quali però seppe abilmente uscire, guadagnandoci pure un impiego statale. Fanny Hill venne proibito, ma immagino non vi sorprenderà sapere che continuò a infiammare l'immaginazione di molti tramite una buona diffusione sottobanco.

Cosa mi è piaciuto di Fanny Hill? Be', innanzi tutto, per essere stato scritto nel 1749, l'ho trovato molto esplicito. Non aspettatevi allusioni o detti-non-detti: le scene di sesso sono molto esplicite. Molto più di quelle di E.L. James, se volete saperlo, perché contengono una naturalezza e una curiosità fanciullesca nei confronti dei piaceri derivanti dall'atto sessuale in grado di far arrossire alla grande Mr. Accigliato Grey.

Poi, sempre perché scritto nel 1749, contiene delle espressioni che mi hanno fatto morire dal ridere, come “iniezione balsamica” per sperma e “filetto di carne bianca di vitello” per “pene”.

Il fatto che sia stato scritto nel 1749 ci permette anche di lanciare uno sguardo alla condizione delle donne di piacere (o donne pubbliche, come sono chiamate nel romanzo), che rischiavano malattie, sfruttamento e problemi con la legge, ma potevano anche essere fortunate e riuscire a farsi mantenere da qualche abbiente signore. O molto fortunate se riuscivano a farsi sposare da qualche cliente innamorato.

Cosa non mi è piaciuto di Fanny Hill quindi? Forse è stupido visto che parliamo di un romanzo porno scritto nel 1749 (sì, lo so, vi sto facendo venire la nausea ripetendolo continuamente) e Olympe de Gouges avrebbe scritto il suo Dichiarazione dei diritti della donna e della cittadina solo nel 1791, ma non ho potuto fare a meno di essere infastidita da alcuni passaggi particolarmente maschilisti.

Sono rimasta, per esempio molto infastidita dalla visione penecentrica (o forse dovrei dire penegrossocentrica) di Fanny: quelli belli e buoni sono forniti di prodigiose mazze da baseball, mentre gli stronzi viscidi hanno delle insoddisfacenti penne a sfera BIC. Oppure vogliamo parlare di quest'attenzione morbosa nei confronti della verginità femminile? Oppure di quando Fanny ha provato repulsione di fronte al sesso tra due uomini, andando poi a denunciarli per i loro atti “contro natura”?

Insomma, ce n'è abbastanza per farvi urlare dalla frustrazione. Fanny Hill è un romanzo in bilico tra la modernità e il vecchio: c'è del buono che sa ancora sorprenderci e farci riflettere, ma c'è anche del brutto che, se non ci fa incazzare, di certo ci lascia molto perplessi. ( )
  lasiepedimore | Sep 13, 2023 |
John Cleland’s 1748 novel Fanny Hill: Memoirs of a Woman of Pleasure tells the story of a young woman who traveled from Lancashire to London seeking work as a domestic, but instead was lured into a brothel. Cleland writes the story from the perspective of Fanny, who is writing in the form of a letter. Amid her erotic encounters, she meets a man named Charles who convinces her to escape. She becomes the kept woman of a wealthy man, but finds that he’s having an affair with his maid, so she has an affair with his footman as revenge. He catches her and she must return to work in a brothel, though for wealthy clients. In the second volume, she describes the various acts at the brothel, spending more time describing others’ activities. Eventually, Fanny retires and has a chance encounter with Charles, whom she marries and with whom she shares the fortune she accumulated over the years.

Cleland published the novel in order to pay his way out of debtors’ prison. Despite its success and numerous knock-off editions, Cleland was arrested and charged with “corrupting the King’s subjects,” though he was freed after renouncing the novel. It remained available in pirate editions from underground booksellers in the U.S. and U.K. from the late-eighteenth through nineteenth centuries. Only in the mid-twentieth century was the book cleared for publication in both nations as the result of court cases and changing public sentiment. Possibly aiding the revised opinions were the book’s historical significance and Cleland’s own writing style in which he eschewed “dirty words” or explicit descriptions in favor of euphemism. The work itself may be of interest to those looking to learn more about late-seventeenth-century sexual mores as well as the history of obscenity in the English-speaking world. ( )
  DarthDeverell | Dec 27, 2022 |
Mostrando 1-5 de 57 (seguinte | mostrar todos)
sem críticas | adicionar uma crítica

» Adicionar outros autores (199 possíveis)

Nome do autorPapelTipo de autorObra?Estado
Cleland, Johnautor principaltodas as ediçõesconfirmado
Blum, ZeviIlustradorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Cavell, PhilippeIlustradorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Conti, Anna MariaTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Eyre, JustineNarradorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Jong, EricaIntroduçãoautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Kliphuis, J.F.Tradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Lubalin, HerbDesignerautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Martínez Fariñas, EnriqueTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Plumb, J.H.Introduçãoautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Quennell, PeterIntroduçãoautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Sancisi, ValentinaTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Wagner, PeterEditorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Tem de autenticar-se para poder editar dados do Conhecimento Comum.
Para mais ajuda veja a página de ajuda do Conhecimento Comum.
Título canónico
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Título original
Títulos alternativos
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Data da publicação original
Pessoas/Personagens
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Locais importantes
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Acontecimentos importantes
Filmes relacionados
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Epígrafe
Dedicatória
Primeiras palavras
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Madam,
I sit down to give you an undeniable proof of my considering your desires as indispensable orders.
Published anonymously and under false imprints, shunned by respectable booksellers, perused by furtive readers, repeatedly seized by authorities, expurgated and denounced by its own author, Memoirs of a Woman of Pleasure was for long an underground book. (Introduction)
Citações
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
I felt the prodigious keen edge, with which love, presiding over this act, points the pleasure: love!  that may be styled the Attic salt of enjoyment; and indeed, without it, the joy, great as it is, is still a vulgar one, whether in a king or a beggar; for it is, undoubtedly, love alone that refines, ennobles, and exalts it.
Últimas palavras
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
(Carregue para mostrar. Atenção: Pode conter revelações sobre o enredo.)
(Carregue para mostrar. Atenção: Pode conter revelações sobre o enredo.)
Nota de desambiguação
Editores da Editora
Autores de citações elogiosas (normalmente na contracapa do livro)
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Língua original
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
DDC/MDS canónico
LCC Canónico

Referências a esta obra em recursos externos.

Wikipédia em inglês (2)

Erotic Literature. Fiction. HTML:

Memoirs of Fanny Hill, written in debtor's prison in 1784, is considered the first modern erotic novel in English. A young woman, Fanny Hill, is forced by poverty to go into service, but is tricked into becoming a prostitute instead. She is then saved by her love, only to have his jealous father send him from the country some months later. She moves from one lover to the next, gaining maturity with each encounter, and nearing her... happy ending.

.

Não foram encontradas descrições de bibliotecas.

Descrição do livro
Resumo Haiku

Current Discussions

Nenhum(a)

Capas populares

Ligações Rápidas

Avaliação

Média: (3.17)
0.5 3
1 23
1.5 3
2 68
2.5 12
3 176
3.5 39
4 107
4.5 7
5 39

É você?

Torne-se num Autor LibraryThing.

 

Acerca | Contacto | LibraryThing.com | Privacidade/Termos | Ajuda/Perguntas Frequentes | Blogue | Loja | APIs | TinyCat | Bibliotecas Legadas | Primeiros Críticos | Conhecimento Comum | 207,152,955 livros! | Barra de topo: Sempre visível