Página InicialGruposDiscussãoMaisZeitgeist
Este sítio web usa «cookies» para fornecer os seus serviços, para melhorar o desempenho, para analítica e (se não estiver autenticado) para publicidade. Ao usar o LibraryThing está a reconhecer que leu e compreende os nossos Termos de Serviço e Política de Privacidade. A sua utilização deste sítio e serviços está sujeita a essas políticas e termos.
Hide this

Resultados dos Livros Google

Carregue numa fotografia para ir para os Livros Google.

The Vineyard at the End of the World:…
A carregar...

The Vineyard at the End of the World: Maverick Winemakers and the Rebirth… (original 2013; edição 2012)

por Ian Mount (Autor)

MembrosCríticasPopularidadeAvaliação médiaMenções
17Nenhum(a)980,249 (3.5)1
For generations, Argentine wine was famously bad--?oxidized, unpalatable, and often mixed with a low-class French grape called Malbec. But then in 2001, a Cabernet Sauvignon / Malbec blend beat all contenders in a blind taste test featuring Napa and Bordeaux's finest. Today, Argentina and its signature wine are on the tip of every smart traveler's tongue. How did this happen?The Vineyard at the End of the World tells the fascinating, four-hundred-year history of how a wine mecca arose in the high Andean desert. Profiling the outlandish figures who fueled the Malbec revolution--including celebrity enologist Michel Rolland, acclaimed American winemaker Paul Hobbs, and the Mondavi-esque Catena family--Ian Mount describes in colorful detail the nefarious scams, brilliant business innovations, and backroom politics that put Malbec on the map.… (mais)
Membro:healey.parera
Título:The Vineyard at the End of the World: Maverick Winemakers and the Rebirth of Malbec
Autores:Ian Mount (Autor)
Informação:W. W. Norton & Company (2012), Edition: 1st.., 352 pages
Colecções:home office
Avaliação:
Etiquetas:Nenhum(a)

Pormenores da obra

The Vineyard at the End of the World: Maverick Winemakers and the Rebirth of Malbec por Ian Mount (2013)

A carregar...

Adira ao LibraryThing para descobrir se irá gostar deste livro.

Ainda não há conversas na Discussão sobre este livro.

» Ver também 1 menção

Sem críticas
sem críticas | adicionar uma crítica
Tem de autenticar-se para poder editar dados do Conhecimento Comum.
Para mais ajuda veja a página de ajuda do Conhecimento Comum.
Título canónico
Título original
Títulos alternativos
Data da publicação original
Pessoas/Personagens
Locais importantes
Acontecimentos importantes
Filmes relacionados
Prémios e menções honrosas
Epígrafe
Dedicatória
Primeiras palavras
Citações
Últimas palavras
Nota de desambiguação
Editores da Editora
Autores de citações elogiosas (normalmente na contracapa do livro)
Língua original
DDC/MDS canónico

Referências a esta obra em recursos externos.

Wikipédia em inglês

Nenhum(a)

For generations, Argentine wine was famously bad--?oxidized, unpalatable, and often mixed with a low-class French grape called Malbec. But then in 2001, a Cabernet Sauvignon / Malbec blend beat all contenders in a blind taste test featuring Napa and Bordeaux's finest. Today, Argentina and its signature wine are on the tip of every smart traveler's tongue. How did this happen?The Vineyard at the End of the World tells the fascinating, four-hundred-year history of how a wine mecca arose in the high Andean desert. Profiling the outlandish figures who fueled the Malbec revolution--including celebrity enologist Michel Rolland, acclaimed American winemaker Paul Hobbs, and the Mondavi-esque Catena family--Ian Mount describes in colorful detail the nefarious scams, brilliant business innovations, and backroom politics that put Malbec on the map.

Não foram encontradas descrições de bibliotecas.

Descrição do livro
Resumo Haiku

Ligações Rápidas

Capas populares

Avaliação

Média: (3.5)
0.5
1
1.5
2
2.5
3 1
3.5
4 1
4.5
5

É você?

Torne-se num Autor LibraryThing.

 

Acerca | Contacto | LibraryThing.com | Privacidade/Termos | Ajuda/Perguntas Frequentes | Blogue | Loja | APIs | TinyCat | Bibliotecas Legadas | Primeiros Críticos | Conhecimento Comum | 155,841,405 livros! | Barra de topo: Sempre visível