Página InicialGruposDiscussãoMaisZeitgeist
Pesquisar O Sítio Web
Este sítio web usa «cookies» para fornecer os seus serviços, para melhorar o desempenho, para analítica e (se não estiver autenticado) para publicidade. Ao usar o LibraryThing está a reconhecer que leu e compreende os nossos Termos de Serviço e Política de Privacidade. A sua utilização deste sítio e serviços está sujeita a essas políticas e termos.

Resultados dos Livros Google

Carregue numa fotografia para ir para os Livros Google.

A carregar...

Journey to the End of the Night (1932)

por Louis-Ferdinand Céline

Outros autores: Ver a secção outros autores.

MembrosCríticasPopularidadeAvaliação médiaMenções
5,975811,635 (4.18)176
Louis-Ferdinand Celine's revulsion and anger at what he considered the idiocy and hypocrisy of society explodes from nearly every page of this novel. Filled with slang and obscenities and written in raw, colloquial language, Journey to the End of the Night is a literary symphony of violence, cruelty and obscene nihilism. This book shocked most critics when it was first published in France in 1932, but quickly became a success with the reading public in Europe, and later in America, where it was first published by New Directions in 1952. The story of the improbable yet convincingly described travels of the petit-bourgeois (and largely autobiographical) antihero, Bardamu, from the trenches of World War I, to the African jungle, to New York and Detroit, and finally to life as a failed doctor in Paris, takes the readers by the scruff and hurtles them toward the novel's inevitable, sad conclusion.… (mais)
A carregar...

Adira ao LibraryThing para descobrir se irá gostar deste livro.

Ainda não há conversas na Discussão sobre este livro.

» Ver também 176 menções

Inglês (45)  Francês (10)  Holandês (8)  Italiano (7)  Espanhol (2)  Catalão (2)  Hebraico (2)  Polaco (1)  Finlandês (1)  Sueco (1)  Dinamarquês (1)  Todas as línguas (80)
Mostrando 1-5 de 80 (seguinte | mostrar todos)
"If someone tells you he's unhappy, don't take it on faith. Just ask him if he can sleep ... If he can, then all's well. That's good enough."

What causes sleep disruption? More OSA and old age than shell shock these days. Hyperarousal managed with sleep hygiene and melatonin; the personal constitution no longer thought to have once been revealed in oneiric pastiche — our unhappiest sleep best. Is Celine's phrase a question of being too deep to sleep, or merely not deep enough to sleep deep.

Of wanting to be Voltaire (Caesar), yet unable to write the resolution of Candide without the plot-resolving-murder-plot. This is the quiet form of Pessoa's despair, but for authors of edgy novels who have written themselves into a corner, "Wanting to go and die in Peking (and not being able to)" (Book of Disquiet.) Vonnegut sure was a piece of work for lapping this guy's coattails, huh? “[One] is as innocent of Horror [Edification] as one is of sex,( )
  Joe.Olipo | Jan 1, 2024 |
Prova
  Masnago69 | Sep 23, 2023 |
Ferdinand Bardamu, el protagonista de esta historia, es un héroe de nuestro tiempo, y sabido es que nuestro tiempo apenas sí da héroes: herido en la primera guerra mundial, enamorado de una prostituta sin futuro, sobreviviendo en las colonias francesas en África, persiguiendo su particular sueño americano, de regreso en Francia trabajando como médico rural... Una historia capaz de llegar a lo más hondo del corazón humano; una gran novela que contiene muchas claves para comprender la literatura actual.
  Natt90 | Mar 21, 2023 |
Στη Ριρή από Ειρήνη 2009
  Nikolas50 | Feb 2, 2023 |
“Così gira il mondo attraverso la notte smisuratamente ostile e silenziosa.”

Per molti anni ho percorso, al termine della notte, il viaggio tra la casa in cui vivo e il luogo in cui lavoro. L’ho percorso per molto tempo nella convinzione di introdurmi nel nuovo giorno, uno spazio e un tempo dove anche io avrei contribuito, con il mio agire, a portare luce e chiarezza. Non sapevo di sbagliarmi e che quella serie di viaggi altro non era che una lunga notte “smisuratamente ostile e silenziosa” al termine della quale solo ora posso forse ipotizzare la presenza di una strana alba: l’alba della consapevolezza.

Ferdinand Bardamu, il protagonista del libro, non ha altra ambizione se non quella di sopravvivere in un tempo oscuro. Scampato alla guerra, cerca soluzioni dove sembrano sorgere giornate luminose piene di promesse – le colonie, l’America – ma non trovandole torna indietro e compie un ultimo tentativo con la professione conquistando un altro fallimento. Cosa gli manca per essere felice? Ma è a lui che manca qualcosa? O è il mondo in cui vive che è incapace di offrire le condizioni necessarie a una vita serena? Da cosa fuggono lui e il suo “amico” Robinson, incapaci, sembra, di assumersi tutte le “responsabilità” che il mondo si aspetta da loro?

Osservo ancora una volta, attraverso i vetri appannati dell’autobus, il viaggio al termine di questa lunga notte. Osservo le luci che cercano di illuminare i frammenti di questa notte, solitarie luci separate da un’oscurità irriducibile. Velocemente me le lascio indietro, come ricordi in una memoria confusa e priva di luminose certezze.
  claudio.marchisio | Jan 24, 2023 |
Mostrando 1-5 de 80 (seguinte | mostrar todos)
"while the critic for Le Populaire de Paris condemned it as mere vulgarity and obscenity."
adicionada por vibesandall | editarLe Populaire de Paris
 

» Adicionar outros autores (48 possíveis)

Nome do autorPapelTipo de autorObra?Estado
Céline, Louis-Ferdinandautor principaltodas as ediçõesconfirmado
Dubuffet, JeanArtista da capaautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Kummer, E.Y.Tradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Manheim, RalphTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Mannerkorpi, JukkaTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Marks, John H. P.Tradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Schmidt-Henkel, HinrichTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Tardi, JacquesIlustradorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Vidal-Folch, EstanislauTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Vollmann, William T.Posfácioautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Tem de autenticar-se para poder editar dados do Conhecimento Comum.
Para mais ajuda veja a página de ajuda do Conhecimento Comum.
Título canónico
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Título original
Títulos alternativos
Data da publicação original
Pessoas/Personagens
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Locais importantes
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Acontecimentos importantes
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Filmes relacionados
Epígrafe
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Our life is a journey through winter and night we look for our way in a sky without light. (Song of the Swiss Guards 1793)

Travel is useful, it exercises the imagination. All the rest is disappointment and fatigue. Our journey is entirely imaginary. That is its strength.

It goes from life to death. People, animals, cities, things, all are imagined. It's a novel, just a fictitious narrative. Littre says so, and he's never wrong.

And besides, in the first place, anyone can do as much. You just have to close your eyes.

It's on the other side of life.
Dedicatória
Informação do Conhecimento Comum em francês. Edite para a localizar na sua língua.
À Elisabeth Craig
Primeiras palavras
Citações
Últimas palavras
Nota de desambiguação
Editores da Editora
Autores de citações elogiosas (normalmente na contracapa do livro)
Língua original
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
DDC/MDS canónico
LCC Canónico

Referências a esta obra em recursos externos.

Wikipédia em inglês (1)

Louis-Ferdinand Celine's revulsion and anger at what he considered the idiocy and hypocrisy of society explodes from nearly every page of this novel. Filled with slang and obscenities and written in raw, colloquial language, Journey to the End of the Night is a literary symphony of violence, cruelty and obscene nihilism. This book shocked most critics when it was first published in France in 1932, but quickly became a success with the reading public in Europe, and later in America, where it was first published by New Directions in 1952. The story of the improbable yet convincingly described travels of the petit-bourgeois (and largely autobiographical) antihero, Bardamu, from the trenches of World War I, to the African jungle, to New York and Detroit, and finally to life as a failed doctor in Paris, takes the readers by the scruff and hurtles them toward the novel's inevitable, sad conclusion.

Não foram encontradas descrições de bibliotecas.

Descrição do livro
Resumo Haiku

Current Discussions

Nenhum(a)

Capas populares

Ligações Rápidas

Avaliação

Média: (4.18)
0.5 4
1 19
1.5 4
2 43
2.5 7
3 125
3.5 40
4 307
4.5 69
5 482

É você?

Torne-se num Autor LibraryThing.

 

Acerca | Contacto | LibraryThing.com | Privacidade/Termos | Ajuda/Perguntas Frequentes | Blogue | Loja | APIs | TinyCat | Bibliotecas Legadas | Primeiros Críticos | Conhecimento Comum | 202,120,403 livros! | Barra de topo: Sempre visível