Página InicialGruposDiscussãoMaisZeitgeist
Pesquisar O Sítio Web
Este sítio web usa «cookies» para fornecer os seus serviços, para melhorar o desempenho, para analítica e (se não estiver autenticado) para publicidade. Ao usar o LibraryThing está a reconhecer que leu e compreende os nossos Termos de Serviço e Política de Privacidade. A sua utilização deste sítio e serviços está sujeita a essas políticas e termos.

Resultados dos Livros Google

Carregue numa fotografia para ir para os Livros Google.

A carregar...

The Plague (1947)

por Albert Camus

Outros autores: Ver a secção outros autores.

MembrosCríticasPopularidadeAvaliação médiaDiscussões / Menções
18,339248262 (3.95)2 / 603
Chaos prevails when the bubonic plague strikes the Algerian coastal city of Oran. A haunting tale of human resilience in the face of unrelieved horror, Camus' novel about a bubonic plague ravaging the people of a North African coastal town is a classic of twentieth-century literature.
1940s (23)
AP Lit (89)
To Read (65)
My TBR (4)
A carregar...

Adira ao LibraryThing para descobrir se irá gostar deste livro.

» Ver também 603 menções

Inglês (198)  Italiano (10)  Holandês (10)  Espanhol (8)  Catalão (4)  Francês (3)  Sueco (2)  Português (Portugal) (2)  Alemão (2)  Dinamarquês (1)  Português (1)  Hebraico (1)  Todas as línguas (242)
Mostrando 2 de 2
Esta obra é um ensaio: feche-se uma cidade do resto do mundo e observe-se o resultado. A peste é então o catalisador necessário às modificações do comportamento humano, tal como é elemento necessário e suficiente ao estado de isolamento exigido por tal estado.
A ideia em si é genial, o seu desenvolvimento é que é um tanto ou quanto monótono e fica aquém das expectativas. Nesta experiência poderiam observar-se as mutações de comportamentos sociais, dos valores morais, a desvalorização da economia, porém há pouco disto! Essas mutações foram apenas condições que o autor colocou ao objecto de estudo que mais lhe interessava: a psicologia. ( )
  CMBras | Apr 1, 2021 |
Na manhã de um dia 16 de abril dos anos de 1940, o doutor Bernard Rieux sai do seu consultório e tropeça num rato morto. Este é o primeiro sinal de uma epidemia de peste que em breve toma conta de toda a cidade de Orão, na Argélia. Sujeita a quarentena, esta tornase um território irrespirável e os seus habitantes são conduzidos até estados de sofrimento, de loucura, mas também de compaixão de proporções desmedidas.
Uma história arrebatadora sobre o horror, a sobrevivência e a resiliência do ser humano, "A Peste" é uma parábola de ressonância intemporal, um romance magistralmente construído, que, publicado originalmente em 1947, consagrou em definitivo Albert Camus como um dos autores fundamentais da literatura moderna.
  LuisFragaSilva | Nov 8, 2020 |
Mostrando 2 de 2
Extraordinary....There are things in this book which no reader will ever forget.
adicionada por SaraElizabeth11 | editarSpectator
 
Of such importance to our times that to dismiss it would be to blaspheme against the human spirit.
adicionada por SaraElizabeth11 | editarNew York Times Book Review
 
A perfect achievement.
adicionada por SaraElizabeth11 | editarNew Republic
 
Chaos prevails when the bubonic plague strikes the Algerian coastal city of Oran. A haunting tale of human resilience in the face of unrelieved horror, Camus' novel about a bubonic plague ravaging the people of a North African coastal town is a classic of twentieth-century literature.
adicionada por Lemeritus | editarWorldCat Abstract
 

» Adicionar outros autores (58 possíveis)

Nome do autorPapelTipo de autorObra?Estado
Camus, Albertautor principaltodas as ediçõesconfirmado
Brueziere, MauriceEditorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Buss, RobinTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Chacel, RosaTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Corsari, WillyTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Dal Fabbro, BeniaminoTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Gilbert, StuartTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Jenner, JamesNarradorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Judt, TonyEditorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Mannerkorpi, JuhaTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Mannerkorpi, JukkaTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Meister, Guido G.Tradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado

Está contido em

Contém

Inspirada

Tem como estudo

Tem um guia de estudo para estudantes

Tem de autenticar-se para poder editar dados do Conhecimento Comum.
Para mais ajuda veja a página de ajuda do Conhecimento Comum.
Título canónico
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Título original
Títulos alternativos
Data da publicação original
Pessoas/Personagens
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Locais importantes
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Acontecimentos importantes
Filmes relacionados
Informação do Conhecimento Comum em italiano. Edite para a localizar na sua língua.
Epígrafe
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
'It is as reasonable to represent one kind of imprisonment by another, as it is to represent anything that really exists by that which exists not! -' ('Robinson Crusoe's preface' to the third volume of Robinson Crusoe, Daniel Defoe).
Dedicatória
Primeiras palavras
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
The unusual events described in this chronicle occurred in 194- at Oran.
Les curieux événements qui font le sujet de cette chronique se sont produits en 194., à Oran.
Le matin du 16 avril, le docteur Bernard Rieux sortit de son cabinet et buta sur un rat mort, au milieu du palier
Citações
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
"Oran, however, seems to be a town without intimations; in other words, completely modern."
The distinction can be made between men and, for example, dogs; men's deaths are checked and entered up.
"They fancied themselves free, and no one will ever be free so long as there are pestilences."
"In normal times all of us know, whether consciously or not, that there is no love which can't be bettered; nevertheless we reconcile ourselves more or less easily to the fact that ours has never risen above the average."
"You'd almost think they expected to be given medals for it. But what does that mean—'plague'? Just life, no more than that."
Últimas palavras
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
(Carregue para mostrar. Atenção: Pode conter revelações sobre o enredo.)
(Carregue para mostrar. Atenção: Pode conter revelações sobre o enredo.)
Nota de desambiguação
Editores da Editora
Autores de citações elogiosas (normalmente na contracapa do livro)
Língua original
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
DDC/MDS canónico
LCC Canónico

Referências a esta obra em recursos externos.

Wikipédia em inglês

Nenhum(a)

Chaos prevails when the bubonic plague strikes the Algerian coastal city of Oran. A haunting tale of human resilience in the face of unrelieved horror, Camus' novel about a bubonic plague ravaging the people of a North African coastal town is a classic of twentieth-century literature.

Não foram encontradas descrições de bibliotecas.

Descrição do livro
Resumo Haiku

Current Discussions

Nenhum(a)

Capas populares

Ligações Rápidas

Avaliação

Média: (3.95)
0.5 4
1 37
1.5 8
2 149
2.5 39
3 698
3.5 193
4 1323
4.5 139
5 1047

É você?

Torne-se num Autor LibraryThing.

Penguin Australia

3 edições deste livro foram publicadas por Penguin Australia.

Edições: 0141185139, 0141045515, 0141049235

 

Acerca | Contacto | LibraryThing.com | Privacidade/Termos | Ajuda/Perguntas Frequentes | Blogue | Loja | APIs | TinyCat | Bibliotecas Legadas | Primeiros Críticos | Conhecimento Comum | 201,779,237 livros! | Barra de topo: Sempre visível