Página InicialGruposDiscussãoMaisZeitgeist
Pesquisar O Sítio Web
Este sítio web usa «cookies» para fornecer os seus serviços, para melhorar o desempenho, para analítica e (se não estiver autenticado) para publicidade. Ao usar o LibraryThing está a reconhecer que leu e compreende os nossos Termos de Serviço e Política de Privacidade. A sua utilização deste sítio e serviços está sujeita a essas políticas e termos.

Resultados dos Livros Google

Carregue numa fotografia para ir para os Livros Google.

A carregar...

Brighton Rock (1938)

por Graham Greene

Outros autores: Ver a secção outros autores.

MembrosCríticasPopularidadeAvaliação médiaMenções
5,1541172,087 (3.73)395
Classic Literature. Fiction. HTML:

Originally published in 1938, Graham Greene's chilling exposé of violence and gang warfare is a masterpiece of psychological realism and often considered Graham Greene's best novel. It is a fascinating study of evil, sin, and the "appalling strangeness of the mercy of God," a classic of its kind.

Set in Brighton, England, among the criminal rabble, the book depicts the tragic career of a seventeen-year-old boy named Pinkie whose primary ambition is to lead a gang to rival that of the wealthy and established Colleoni. Pinkie is devoid of compassion or human feeling, despising weakness of the spirit or of the flesh. Responsible for the razor slashes that killed Kite and also for the death of Hale, he is the embodiment of calculated evil. As a Catholic, however, he is convinced that his retribution does not lie in human hands.

He is therefore not prepared for Ida Arnold, Hale's avenging angel. Ida, whose allegiance is with life, the here and now, has her own ideas about the circumstances surrounding Hale's death. For the sheer joy of it she takes up the challenge of bringing the infernal Pinkie to an earthly kind of justice.

When finished, the listener is sure to ponder some lofty moral issues to which Greene, a Catholic writer, withholds easy judgments.… (mais)

A carregar...

Adira ao LibraryThing para descobrir se irá gostar deste livro.

Ainda não há conversas na Discussão sobre este livro.

» Ver também 395 menções

Inglês (111)  Sueco (2)  Alemão (1)  Holandês (1)  Vietnamita (1)  Todas as línguas (116)
Mostrando 1-5 de 116 (seguinte | mostrar todos)
The more I do not read Contemporary Fiction, the more important the predecessors become. Case in point: Graham Greene. Never has the degradation of every but one of the dramatis personae been so trepidatiously depicted. Imagine someone writing in those years between the apexes of Hammett and Chandler, a British Catholic, setting his terrors at the most cliched of sites, the seaside resort. Impotent wanna-be gangsters collide with both semi-professionals and well-meaning interlopers. Being me, I knew how it all would end. Graham Greene proved me very wrong, to my delight. ( )
  jlbattis | Apr 10, 2024 |
I enjoyed visiting Brighton on my one trip to England, so I liked being reminded of that town through this book. I also like Greene's writing style, from all the other books of his I've read so far.
This one is a murder-mystery/crime thriller, with a citizen sleuth, a middle-aged woman named Ida who spends some time hanging out with a nice stranger just shortly before that man dies. She realizes that the story about that man's seemingly natural death doesn't tally with what she knows of the victim's last hours, and when the police ignore her concerns she sets out to investigate on her own. An unlikely avenging angel, she nonetheless pursues a gang of toughs whose gang is going through the power struggles and adjustments that follow a regime change. In addition to the adventure/thriller elements, this book also explores the nature of mortal sin and good/evil, looking at the many complications and gradations that make it hard to hold to strict, black and white concepts of good and evil, while still also showing how maybe evil is still real, no matter how complicated real life can be.
( )
  JBarringer | Dec 15, 2023 |
A boring and tedious read. ( )
  Novak | Sep 6, 2023 |
Bleak, but brilliant. ( )
  TheScribblingMan | Jul 29, 2023 |
I just couldn't be made to care. Not for me. ( )
  judeprufrock | Jul 4, 2023 |
Mostrando 1-5 de 116 (seguinte | mostrar todos)
This is no book for those who would turn delicate noses away from the gutters and sewers of life; but there is nothing that could give the faintest gratification to snickerers. If it is as downright as surgery, it is, also, as clean as a clinic. There is not an entirely admirable character in it; but there is not one that can, by any chance, be forgotten nor one that could be set aside as untrue to life.
 
Why does this bleak, seething and anarchic novel still resonate? Its energy and power is that of the rebellious adolescent, foreshadowing the rise of the cult of youth in the latter part of the 20th century. And while Catholicism may have given way to secularism, Pinkie ultimately realises that hell isn't located in some distant realm: it's right here, present on earth, all around us.
adicionada por John_Vaughan | editarGuardian, UK, Sophia Martelli (Jul 9, 2011)
 
Greene's entertainments look better now than most of his pretentious and overpraised 'serious novels'. One of the few British crime novels of the time which matched the modernist tone of the Americans, while remaining completely authentic.
adicionada por Cynfelyn | editarThe Guardian, Mike Phillips (May 31, 2000)
 

» Adicionar outros autores (3 possíveis)

Nome do autorPapelTipo de autorObra?Estado
Greene, Grahamautor principaltodas as ediçõesconfirmado
Buckley, PaulDesigner da capaautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Byfield, GrahamArtista da capaautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Carey, JohnIntroduçãoautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Coetzee, J.M.Introduçãoautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Cronin, BrianArtista da capaautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Grandfield, GeoffIlustradorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Joffe, RowanPrefácioautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Larsen, Magda HenrietteTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Lindegren, ErikTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Lladó Bausili, JuanTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Pade, HenningTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Rojahn-Deyk, BarbaraTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Sibon, MarcelleTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Tainio, TaunoTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Vallandro, LeonelTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Vernet, Maria TeresaTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
West, SamuelNarradorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Tem de autenticar-se para poder editar dados do Conhecimento Comum.
Para mais ajuda veja a página de ajuda do Conhecimento Comum.
Título canónico
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Título original
Títulos alternativos
Informação do Conhecimento Comum em alemão. Edite para a localizar na sua língua.
Data da publicação original
Pessoas/Personagens
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Locais importantes
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Acontecimentos importantes
Filmes relacionados
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Epígrafe
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
'This were a fine reign:
To do ill and not hear of it again.'
THE WITCH OF EDMONTON
Dedicatória
Primeiras palavras
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Hale knew, before he had been in Brighton three hours, that they meant to murder him.
Hale knew they meant to murder him before he had been in Brighton three hours. [1956 ed.]
Citações
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
[...] young men kept on arriving in huge motoring coats accompanied by small tinted creatures, who rang like expensive glass when they were touched but who conveyed an impression of being as sharp and tough as tin.
Últimas palavras
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
(Carregue para mostrar. Atenção: Pode conter revelações sobre o enredo.)
Nota de desambiguação
Editores da Editora
Autores de citações elogiosas (normalmente na contracapa do livro)
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Língua original
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
DDC/MDS canónico
LCC Canónico

Referências a esta obra em recursos externos.

Wikipédia em inglês

Nenhum(a)

Classic Literature. Fiction. HTML:

Originally published in 1938, Graham Greene's chilling exposé of violence and gang warfare is a masterpiece of psychological realism and often considered Graham Greene's best novel. It is a fascinating study of evil, sin, and the "appalling strangeness of the mercy of God," a classic of its kind.

Set in Brighton, England, among the criminal rabble, the book depicts the tragic career of a seventeen-year-old boy named Pinkie whose primary ambition is to lead a gang to rival that of the wealthy and established Colleoni. Pinkie is devoid of compassion or human feeling, despising weakness of the spirit or of the flesh. Responsible for the razor slashes that killed Kite and also for the death of Hale, he is the embodiment of calculated evil. As a Catholic, however, he is convinced that his retribution does not lie in human hands.

He is therefore not prepared for Ida Arnold, Hale's avenging angel. Ida, whose allegiance is with life, the here and now, has her own ideas about the circumstances surrounding Hale's death. For the sheer joy of it she takes up the challenge of bringing the infernal Pinkie to an earthly kind of justice.

When finished, the listener is sure to ponder some lofty moral issues to which Greene, a Catholic writer, withholds easy judgments.

Não foram encontradas descrições de bibliotecas.

Descrição do livro
Resumo Haiku

Biblioteca Legada: Graham Greene

Graham Greene tem uma Biblioteca Legada. As bibliotecas legadas são bibliotecas privadas de leitores famosos introduzidas por membros do LibraryThing que integram o grupo Legacy Libraries.

Ver o perfil legado de Graham Greene.

Ver a página de autor de Graham Greene.

Current Discussions

Nenhum(a)

Capas populares

Ligações Rápidas

Avaliação

Média: (3.73)
0.5 1
1 17
1.5 2
2 71
2.5 25
3 214
3.5 92
4 363
4.5 48
5 200

 

Acerca | Contacto | LibraryThing.com | Privacidade/Termos | Ajuda/Perguntas Frequentes | Blogue | Loja | APIs | TinyCat | Bibliotecas Legadas | Primeiros Críticos | Conhecimento Comum | 204,266,272 livros! | Barra de topo: Sempre visível