Página InicialGruposDiscussãoExplorarZeitgeist
Pesquisar O Sítio Web
Este sítio web usa «cookies» para fornecer os seus serviços, para melhorar o desempenho, para analítica e (se não estiver autenticado) para publicidade. Ao usar o LibraryThing está a reconhecer que leu e compreende os nossos Termos de Serviço e Política de Privacidade. A sua utilização deste sítio e serviços está sujeita a essas políticas e termos.
Hide this

Resultados dos Livros Google

Carregue numa fotografia para ir para os Livros Google.

A carregar...

Mother Night (1961)

por Kurt Vonnegut

Outros autores: Ver a secção outros autores.

MembrosCríticasPopularidadeAvaliação médiaMenções
6,538781,141 (4.11)190
Truth and justice are blurred when American spy Howard Campbell is tried in Israel as a Nazi war criminal after World War II.
A carregar...

Adira ao LibraryThing para descobrir se irá gostar deste livro.

Ainda não há conversas na Discussão sobre este livro.

» Ver também 190 menções

Inglês (76)  Catalão (1)  Espanhol (1)  Todas as línguas (78)
Mostrando 1-5 de 78 (seguinte | mostrar todos)
I finished the book yesterday, but have been struggling with articulating my thoughts about it. I always enjoy Vonnegut and this one gave me a bit more to think about than I usually get. Perhaps because it was about a very real, very horrifying part of history, even if this story itself is entirely fictional. The ending was haunting, and I believe, entirely appropriate and credible. ( )
  KrakenTamer | Oct 23, 2021 |
i liked this even better this time around. definitely my favorite vonnegut of the ones i've read. this is so interesting and it explores fun philosophical questions.

who are we really? are we who we say we are? who we pretend to be? who we used to be? can we leave who we used to be behind and be someone else? do we know who we are if someone tells us or thinks we are someone different?

from the introduction:

"We are what we pretend to be, so we must be careful about what we pretend to be."

about nazis they associated with: "It wasn't that Helga and I were crazy about Nazis. I can't say, on the other hand, that we hated them. ... They were people. Only in retrospect can i think of them as trailing slime behind."

"She was a nonstop talker, which made her hard to know..."

"I had hoped, as a broadcaster [of propaganda], to be merely ludicrous, but this is a hard world to be ludicrous in, with so many human beings so reluctant to laugh, so incapable of thought, so eager to believe and snarl and hate."

3.5 stars

from 12/20

2.75 stars, and definitely my favorite vonnegut so far. i do think he's probably just not for me, but at least he's quick reading if nothing else. i'm not much for satire and maybe i liked this one more because i read it as having less satire than his others. i write that, but...i guess this could be read satirically, i just feel like it reads kind of true. we pretend things about who we are and then, maybe without realizing it, we aren't pretending anymore. or are we? or were we pretending in the first place? what is true, really? he's saying this stuff over and over; it's not just with campbell, who may or may not be a nazi and may or may not be a spy. it's with resi, who is pretending to be helga, who is an actress and so is pretending on stage; it's with potapov, who is pretending to be kraft; it's with bodovskov, who is pretending to be a writer; it's heinz who was pretending to be a nazi; it's frank, who may or may not be pretending to recruit him as a spy. there is a lot of "what is real?" and "what is true?" here, and i think that's an interesting question to explore.

from the introduction:
"We are what we pretend to be, so we must be careful about what we pretend to be."

this probably doesn't work out of context, but it reminded me of trump supporters now:
"I had hoped, as a [propaganda] broadcaster, to be merely ludicrous, but this is a hard world to be ludicrous in, with so many human beings so reluctant to laugh, so incapable of thought, so eager to believe and snarl and hate." ( )
  overlycriticalelisa | Sep 25, 2021 |
Wordy

It was a fairly quick read, even though I have trouble with books with so much dialog. It was also depressing. ( )
  nmorandi | Jul 16, 2021 |
"We are what we pretend to be, so we must be careful about what we pretend to be." A timely moral from a brilliant novel. Vonnegut's words seem to become more relevant with the passage of time. This should be required reading, especially for those involved in media and politics. ( )
  SeanBoley | Jun 5, 2021 |
3,5 ( )
  Krinsekatze | May 5, 2021 |
Mostrando 1-5 de 78 (seguinte | mostrar todos)
sem críticas | adicionar uma crítica

» Adicionar outros autores (17 possíveis)

Nome do autorPapelTipo de autorObra?Estado
Vonnegut, Kurtautor principaltodas as ediçõesconfirmado
夏樹, 池澤Tradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Bevine, VictorNarradorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Dillon, DianeArtista da capaautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Dillon, LeoArtista da capaautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Kapari, MarjattaTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Santalahti, MattiTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Tem de autenticar-se para poder editar dados do Conhecimento Comum.
Para mais ajuda veja a página de ajuda do Conhecimento Comum.
Título canónico
Título original
Títulos alternativos
Data da publicação original
Pessoas/Personagens
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Locais importantes
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Acontecimentos importantes
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Filmes relacionados
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Prémios e menções honrosas
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Epígrafe
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Breathes there the man, with soul so dead,
Who never to himself hath said,
"This is my own, my native land!"
Whose heart hath ne'er within him
burn'd
As home his footsteps he hath turn'd
From wandering on a foreign strand?
- Sir Walter Scott
Dedicatória
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
To Mata Hari
Primeiras palavras
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
This is the only story of mine whose morals I know. (Introduction)
My name is Howard W. Campbell, Jr.
Citações
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
We are what we pretend to be, so we must be careful what we pretend to be.
Where's evil? It's that large part of every man that wants to hate without limit, that wants to hate with God on its side.
Últimas palavras
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Nota de desambiguação
Editores da Editora
Autores de citações elogiosas (normalmente na contracapa do livro)
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Língua original
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
DDC/MDS canónico
Canonical LCC

Referências a esta obra em recursos externos.

Wikipédia em inglês

Nenhum(a)

Truth and justice are blurred when American spy Howard Campbell is tried in Israel as a Nazi war criminal after World War II.

Não foram encontradas descrições de bibliotecas.

Descrição do livro
Resumo Haiku

Capas populares

Ligações Rápidas

Avaliação

Média: (4.11)
0.5 2
1 3
1.5 4
2 33
2.5 8
3 259
3.5 73
4 617
4.5 85
5 527

É você?

Torne-se num Autor LibraryThing.

 

Acerca | Contacto | LibraryThing.com | Privacidade/Termos | Ajuda/Perguntas Frequentes | Blogue | Loja | APIs | TinyCat | Bibliotecas Legadas | Primeiros Críticos | Conhecimento Comum | 164,580,092 livros! | Barra de topo: Sempre visível