Página InicialGruposDiscussãoMaisZeitgeist
Pesquisar O Sítio Web
Este sítio web usa «cookies» para fornecer os seus serviços, para melhorar o desempenho, para analítica e (se não estiver autenticado) para publicidade. Ao usar o LibraryThing está a reconhecer que leu e compreende os nossos Termos de Serviço e Política de Privacidade. A sua utilização deste sítio e serviços está sujeita a essas políticas e termos.
Hide this

Resultados dos Livros Google

Carregue numa fotografia para ir para os Livros Google.

Notes from Underground (Penguin Classics)…
A carregar...

Notes from Underground (Penguin Classics) (original 1864; edição 2006)

por Fyodor Dostoyevsky

MembrosCríticasPopularidadeAvaliação médiaDiscussões / Menções
10,641135494 (4.06)1 / 345
A predecessor to such monumental works such as Crime and Punishment and The Brothers Karamazov, Notes From Underground represents a turning point in Dostoyevsky's writing towards the more political side. In this work we follow the unnamed narrator of the story, who disillusioned by the oppression and corruption of the society in which he lives withdraws from that society into the underground. A dark and politically charged novel, 'Notes From Underground' shows Dostoyevsky at his best.… (mais)
Membro:wonderperson
Título:Notes from Underground (Penguin Classics)
Autores:Fyodor Dostoyevsky
Informação:Penguin Classics (2006), Paperback, 160 pages
Colecções:A sua biblioteca
Avaliação:*****
Etiquetas:kate's library

Pormenores da obra

Notes from Underground por Fyodor Dostoevsky (1864)

A carregar...

Adira ao LibraryThing para descobrir se irá gostar deste livro.

» Ver também 345 menções

Inglês (121)  Holandês (3)  Sueco (3)  Italiano (3)  Espanhol (3)  Francês (1)  Português (Brasil) (1)  Todas as línguas (135)
Mostrando 1-5 de 135 (seguinte | mostrar todos)
Although the first part meanders a bit too much for my liking, I found "Notes from the Underground" to be an ultimately relatable and insightful experience. To find so many of my own "unconventional" thoughts mirrored in a character completely different from myself prompted a series of self-reflections that haven't stopped yet. Also, the more I think about the ending, the harder it hits. ( )
  yuef3i | Sep 19, 2021 |
Nosso narrador anônimo é um homem amargo e misantrópico que vive sozinho em São Petersburgo, na Rússia, na década de 1860. Ele é um veterano do serviço público russo que recentemente se aposentou porque herdou algum dinheiro. O romance consiste nas "notas" que o homem escreve, um conjunto confuso e muitas vezes contraditório de memórias ou confissões que descrevem e explicam sua alienação da sociedade moderna.
São divididas em duas seções. A primeira, do subsolo, é mais curta e ambientada na década de 1860, quando o homem tem quarenta anos. Esta seção serve como uma introdução ao caráter deste homem subterrâneo, explicando suas teorias sobre sua posição antagônica em relação à sociedade.
As primeiras palavras que ouvimos do nos dizem que ele é um homem doente cuja auto aversão e despeito o aleijaram e o corromperam. Ele é um homem bem lido e altamente inteligente, e acredita que esse fato é responsável por sua miséria. O homem do subterrâneo explica que, na sociedade moderna, todos os homens conscientes e instruídos devem ser tão infelizes quanto ele. Ele ficou desiludido com toda a filosofia. Ele aprecia a sublime e romântica ideia de "o belo e o sublime", mas está ciente de seu absurdo no contexto de sua existência mundana.
O homem subterrâneo tem grande desprezo pelo utilitarismo do século XIX, uma escola de pensamento que tentou usar fórmulas matemáticas e provas lógicas para alinhar os desejos do homem com seus melhores interesses. Ele reclama que o principal desejo do homem é exercer seu livre arbítrio, seja ou não do seu interesse. Em face do utilitarismo, o homem fará coisas desagradáveis ​​e improdutivas simplesmente para provar que seu livre arbítrio é imprevisível e, portanto, completamente livre. Essa afirmação explica parcialmente a insistência do homem do subterrâneo de que ele sente prazer em suas próprias dores de dente ou dores de fígado: esse prazer na dor é uma maneira de cuspir a previsibilidade confortável da vida na sociedade moderna, que aceita sem dúvida o valor de procurar o médico. Ele não se orgulha de todo esse comportamento inútil, no entanto. Ele tem um enorme desprezo por si mesmo como ser humano. Ele sabe que é tão dominado pela inércia que não pode nem se tornar mau o suficiente para ser um canalha, ou insignificante o suficiente para ser um inseto ou preguiçoso o suficiente para ser um verdadeiro preguiçoso.
O segundo fragmento do livro, intitulado "A propósito da neve molhada", descreve eventos específicos na vida do homem subterrâneo na década de 1840, quando ele tinha 24 anos. De certo modo, esta seção serve como uma ilustração prática das ideias mais abstratas que ele apresenta na primeira seção.
Esta segunda seção revela a progressão do narrador de sua perspectiva juvenil, influenciada pelo romantismo e pelos ideais do "belo e sublime", para sua perspectiva madura em 1860, que é puramente cínica sobre a beleza e a grandiosidade em geral.
“A propósito da neve molhada” descreve as interações entre o homem subterrâneo e várias pessoas que habitam seu mundo: soldados, ex-colegas de escola e prostitutas. O homem subterrâneo está tão alienado dessas pessoas que é completamente incapaz de interagir normalmente com elas. Ele os trata com uma mistura de nojo e medo que resulta em seu próprio apagamento ou humilhação, que por sua vez resulta em remorso e aversão a si próprio.
Um livro pesado e profundo. ( )
  Marcos_Augusto | Sep 17, 2021 |
I've had this on my TBR for just over a year and I bought it because Crime & Punishment is a book which I still think about now, even though I read it almost 2 years ago. Although I had a bit of a hard time reading it I ended up giving it a 3 star rating because of the lasting impression it made on me. It didn't strike me as amazing but yet I couldn't get it out of my head. Notes from Underground is a short, novella length book so I knew that even if I had a hard time reading it, it would be short enough to get through quickly.

The book is split into two main parts with the first part being a collection of thoughts from the 'Underground Man'. There is no story or plot to this section and there are a lot of ideas introduced which are covered in a bit more depth later in the book. We never find out the name of the Underground Man but the book is lived in his head and from his viewpoint. For some reason I just couldn't on with this part of the book and I almost put it aside for another time. I found it pretty hard to get through and I found myself having to re-reading the same page over and over again.

However, I stuck with it and the second part is the story which has an actual plot and characters. This part I got on with far better. None of the characters are particularly developed but I wouldn't expect them to be because of the length of the book. We still get to see what is going on inside Underground Man's head but this time at a much more relaxed pace.

In the end I have jumped between 2 and 3 stars a few times. Although I really didn't get on with the first part, the second part has had me thinking a lot since I finished the book. I have decided to go with 3 because of this. ( )
  Brian. | Jul 24, 2021 |
This isn't an enjoyable book, but it's obvious why it's a classic. However, if you read it in the voice of Milton from Office Space, it becomes vastly more entertaining (which is probably insulting to fans of Russian literature). ( )
  octal | Jan 1, 2021 |
This is an amazing monologue by a protagonist we all have so much in common with. Only, in this novel, all the things we share with the narrator are precisely the things we are not proud of, don't want to acknowledge or don't even understand.

Dostoyevsky wonderfully describes the all too human desire to sometimes wreak havoc upon ourselves, fully understanding that our choices are the wrong ones and even more revelling in the knowledge that we will feel debauched and guilty afterwards. If not pure free will, then what is it that leads us to these desires? A rather beautiful way of putting it, isn't it? :-)

In the paradoxalist main character, self-awareness and intelligence lead to passiveness and self-loathing. This is a man that cannot love himself and therefore not love anyone or anything else. I think Dostoyevsky might have meant this as a warning to all his readers. ( )
  bbbart | Dec 27, 2020 |
Mostrando 1-5 de 135 (seguinte | mostrar todos)

» Adicionar outros autores (156 possíveis)

Nome do autorPapelTipo de autorObra?Estado
Dostoevsky, Fyodorautor principaltodas as ediçõesconfirmado
Dostoyevski, FiódorAutorautor principaltodas as ediçõesconfirmado
Adrian, EsaTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Aplin, HughTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Appelbaum, StanleyEditorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Cansinos Assens, RafaelTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Coulson, JessieTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Dekker, PietTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
FitzLyon, KyrilTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Garnett, ConstanceTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Geier, SwetlanaÜbersetzerautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Ginsburg, MirraTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Ginzburg, LeoneContribuidorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Guidall, GeorgeNarradorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Hughes, JennyTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Ingold, Felix PhilippTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Kallama, ValtoTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Kennedy, Paul E.Designer da capaautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
López-Morillas, JuanTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Lönnqvist, BarbaraTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Pacini, GianlorenzoTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Pacini, GianlorenzoEditorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Pevear, RichardTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Polledro, AlfredoTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Praag, S. vanTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Randall, NatashaTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Roseen, UllaTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Self, WillPrefácioautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Smith, PhilipEditorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Steiner, GeorgePrefácioautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Volokhonsky, LarissaTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado

Está contido em

Tem um guia de estudo para estudantes

Tem de autenticar-se para poder editar dados do Conhecimento Comum.
Para mais ajuda veja a página de ajuda do Conhecimento Comum.
Título canónico
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Título original
Títulos alternativos
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Data da publicação original
Pessoas/Personagens
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Locais importantes
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Acontecimentos importantes
Filmes relacionados
Informação do Conhecimento Comum em italiano. Edite para a localizar na sua língua.
Prémios e menções honrosas
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Epígrafe
Dedicatória
Primeiras palavras
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
I am a sick man. ... I am a spiteful man.
I am a sick man... I am a wicked man.
Citações
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
"I wished to stifle with external sensations all that was ceaselessly boiling up inside me."
"...because for a woman it is in love that all resurrection, all salvation from ruin of whatever sort, and all regenerations consists, nor can it reveal itself in anything but this."
"Leave us to ourselves without a book and we'll immediately get confused, lost -- we won't know what to join, what to hold to, what to love and what to hate, what to respect and what to despise."
At home, I merely used to read. Reading stirred, delighted, and tormented me.
It is impossible for an intelligent man seriously to become anything, and only fools become something.
Últimas palavras
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
(Carregue para mostrar. Atenção: Pode conter revelações sobre o enredo.)
(Carregue para mostrar. Atenção: Pode conter revelações sobre o enredo.)
Nota de desambiguação
Editores da Editora
Autores de citações elogiosas (normalmente na contracapa do livro)
Língua original
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
DDC/MDS canónico
Canonical LCC

Referências a esta obra em recursos externos.

Wikipédia em inglês (2)

A predecessor to such monumental works such as Crime and Punishment and The Brothers Karamazov, Notes From Underground represents a turning point in Dostoyevsky's writing towards the more political side. In this work we follow the unnamed narrator of the story, who disillusioned by the oppression and corruption of the society in which he lives withdraws from that society into the underground. A dark and politically charged novel, 'Notes From Underground' shows Dostoyevsky at his best.

Não foram encontradas descrições de bibliotecas.

Descrição do livro
Resumo Haiku

Biblioteca Legada: Fyodor Dostoevsky

Fyodor Dostoevsky tem uma Biblioteca Legada. As bibliotecas legadas são bibliotecas privadas de leitores famosos introduzidas por membros do LibraryThing que integram o grupo Legacy Libraries.

Ver o perfil legado de Fyodor Dostoevsky.

Ver a página de autor de Fyodor Dostoevsky.

Capas populares

Ligações Rápidas

Avaliação

Média: (4.06)
0.5 5
1 17
1.5 11
2 96
2.5 27
3 325
3.5 103
4 732
4.5 118
5 788

Penguin Australia

3 edições deste livro foram publicadas por Penguin Australia.

Edições: 0451529553, 0141024917, 0141194863

Wm. B. Eerdmans Publishing Co.

Uma edição deste livro foi publicada pela Wm. B. Eerdmans Publishing Co..

» Página Web de informação sobre a editora

Urban Romantics

3 edições deste livro foram publicadas por Urban Romantics.

Edições: 1907832475, 1907832483, 1907832491

Voland Edizioni

Uma edição deste livro foi publicada pela Voland Edizioni.

» Página Web de informação sobre a editora

Tantor Media

Uma edição deste livro foi publicada pela Tantor Media.

» Página Web de informação sobre a editora

 

Acerca | Contacto | LibraryThing.com | Privacidade/Termos | Ajuda/Perguntas Frequentes | Blogue | Loja | APIs | TinyCat | Bibliotecas Legadas | Primeiros Críticos | Conhecimento Comum | 162,274,838 livros! | Barra de topo: Sempre visível