Página InicialGruposDiscussãoMaisZeitgeist
Pesquisar O Sítio Web
Este sítio web usa «cookies» para fornecer os seus serviços, para melhorar o desempenho, para analítica e (se não estiver autenticado) para publicidade. Ao usar o LibraryThing está a reconhecer que leu e compreende os nossos Termos de Serviço e Política de Privacidade. A sua utilização deste sítio e serviços está sujeita a essas políticas e termos.
Hide this

Resultados dos Livros Google

Carregue numa fotografia para ir para os Livros Google.

The Fall por Albert Camus
A carregar...

The Fall (original 1956; edição 1991)

por Albert Camus (Autor), Justin O'Brien (Tradutor)

MembrosCríticasPopularidadeAvaliação médiaDiscussões / Menções
6,796701,076 (3.89)1 / 158
Elegantly styled, Camus' profoundly disturbing novel of a Parisian lawyer's confessions is a searing study of modern amorality.
Membro:Platosaurus
Título:The Fall
Autores:Albert Camus (Autor)
Outros autores:Justin O'Brien (Tradutor)
Informação:Vintage Books (1991), 147 pages
Colecções:A sua biblioteca
Avaliação:****
Etiquetas:library

Pormenores da obra

The Fall por Albert Camus (Author) (1956)

  1. 60
    Notes from Underground por Fyodor Dostoevsky (Mouseear)
  2. 20
    The Stranger por Albert Camus (chrisharpe)
  3. 10
    Hunger por Knut Hamsun (chrisharpe)
  4. 11
    By Night in Chile por Roberto Bolaño (Queenofcups)
    Queenofcups: A similar treatment of the evolution of a consciousness, in a different time and place.
  5. 01
    I Hope You Die Soon por Richard Sylvester (sombrio)
A carregar...

Adira ao LibraryThing para descobrir se irá gostar deste livro.

» Ver também 158 menções

Inglês (58)  Francês (5)  Dinamarquês (2)  Espanhol (2)  Holandês (1)  Italiano (1)  Português (1)  Todas as línguas (70)
Mostrando 1-5 de 70 (seguinte | mostrar todos)
This is a monologue between a former lawyer, Jean Baptiste Clamence and the reader. Jean Baptiste is the only interlocutor in the whole novel. He reminisces about his past musings, confesses some things that led to his inevitable fall from "grace" and eventually questions several social phenomena.
The beginning of the book was intriguing; so much that I thought it would be more interesting than the Plague. Unfortunately, that impression dwindled as the monologue progressed. The whole monologue could have been written in a short essay. It felt forced and even conceited at times. I couldn't help but imagine myself having to listen to someone talk nonstop about things if uttered by a 10 year old boy, people would brush it off as teenage angst.
I totally don't recommend this as anyone's first Albert Camus read.
( )
  meddz | Jun 11, 2021 |
This one was a drag to read for the first time. I think a lot of it was lost on me partially because I think I read it too quickly (finished within 24 hours). Next time, I will slow down and try to understand everything that is happening. A lot of the existential philosophy went over my head.

What I did get, was very good though. The commentary on guilt, sincerity, suicide, slavery really had some incredibly memorable lines and perspectives. There were definitely moments of brilliance, and I think on a reread it will bring it all together. As this book is so dense, it might take a couple rereads.

The narrative structure (talking directly to the reader in a monologue) was very interesting, and clever. It's a technique I'm not sure I've ever seen done before in a novel. However it did wear on me. It's the exact same thing for 150 pages straight, and it's just a lot to handle. I think when I reread this, and take it slower, I might come to enjoy it more. ( )
  Andjhostet | Jan 11, 2021 |
I can't say I enjoyed this. I'm sure there's all sorts of deep meanings and philosophy buried in here, but the way it's narrated first person, as if in conversation, for the entire book was something I found tedious. Especially from an unlikable character. ( )
  AngelaJMaher | Dec 25, 2020 |
"The Fall" is Camus' take on the Underground Man. It is a first person confession. Unlike Dostoevsky, this protagonist is a lawyer, respected, doing very well, likes to help people in need - but it is all a sham, he is suffering from an existential ennui and chooses random strangers in bars to tell his story. He asks his listener to consider - what is it that we really want? ( )
  Marse | Nov 20, 2020 |
Mostrando 1-5 de 70 (seguinte | mostrar todos)
sem críticas | adicionar uma crítica

» Adicionar outros autores (29 possíveis)

Nome do autorPapelTipo de autorObra?Estado
Camus, AlbertAutorautor principaltodas as ediçõesconfirmado
Meister, Guido G.Tradutorautor principalalgumas ediçõesconfirmado
Buss, RobinTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Maclaine Pont, AnneTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Mattauch, AlfredIlustradorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
O'Brien, JustinTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Stuart, GilbertTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Tem de autenticar-se para poder editar dados do Conhecimento Comum.
Para mais ajuda veja a página de ajuda do Conhecimento Comum.
Título canónico
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Título original
Títulos alternativos
Data da publicação original
Pessoas/Personagens
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Locais importantes
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Acontecimentos importantes
Filmes relacionados
Prémios e menções honrosas
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Epígrafe
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Some were dreadfully insulted, and quite seriously, to have held up as a model such an immoral character as A Hero of Our Time; others shrewdly noticed that the author had portrayed himself and his acquaintances...A Hero of Our Time, gentlemen, is in fact a portrait but not of an individual; it is the aggregate of the vices of our whole generation intheir fullest expression. LERMONTOV
Dedicatória
Primeiras palavras
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
May I, monsieur, offer my services without running the risk of intruding?
Citações
Informação do Conhecimento Comum em italiano. Edite para a localizar na sua língua.
L'Olanda è un sogno, caro signore, un sogno d'oro e di fumo, più fumoso di giorno e più dorato di notte, e giorno e notte questo sogno è popolato di Lohengrin come questi, che trascorrono in sogno su nere biciclette dagli alti manubri, cigni neri che girano senza tregua per tutto il paese, intorno ai mari, lungo i canali.
Io riprendevo forza e poi la riperdevo. La vita diventava meno facile: quando il corpo è triste, il cuore langue. Mi sembrava di disimparare in parte quello che non avevo mai imparato e che tuttavia sapevo così bene: vivere, voglio dire.
Gliel'ho detto, si tratta di sfuggire al giudizio. Siccome sfuggirvi è difficile, mentre riuscire a far ammirare e insieme scusare la propria natura è buona creanza, cercano tutti di essere ricchi. Perché? Se lo è mai chiesto? Per essere potenti, certo. Ma soprattutto perché la ricchezza sottrae al giudizio immediato, ti libera dalla folla della metropolitana per chiuderti in una carrozzeria nichelata, isola in vasti parchi ben custoditi, vetture letto, cabine di lusso. La ricchezza, caro amico, non è ancora l'assoluzione, è la condizionale, che fa sempre comodo.
Fatto sta che, dopo lunghi studi su me stesso, ho scoperto la duplicità profonda della creatura. Allora, a furia di frugare nella memoria, ho capito che la modestia mi aiutava a brillare, l'umiltà a vincere e la virtù ad opprimere. Facevo la guerra con mezzi pacifici, e alla fine, per mezzo del disinteresse, ottenevo ciò che agognavo.
Ma di nuovo trovai un ostacolo in me stesso. Questa volta fu il fegato, insieme ad una stanchezza così grande che ancora me la porto dietro. Uno gioca a fare l'immortale, e in capo a qualche settimana non sa nemmeno più se potrà strascicarsi fino al giorno dopo.
Últimas palavras
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Nota de desambiguação
Editores da Editora
Autores de citações elogiosas (normalmente na contracapa do livro)
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Língua original
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
DDC/MDS canónico
Canonical LCC

Referências a esta obra em recursos externos.

Wikipédia em inglês

Nenhum(a)

Elegantly styled, Camus' profoundly disturbing novel of a Parisian lawyer's confessions is a searing study of modern amorality.

Não foram encontradas descrições de bibliotecas.

Descrição do livro
Resumo Haiku

Capas populares

Ligações Rápidas

Avaliação

Média: (3.89)
0.5
1 11
1.5 5
2 62
2.5 19
3 274
3.5 74
4 439
4.5 46
5 345

É você?

Torne-se num Autor LibraryThing.

 

Acerca | Contacto | LibraryThing.com | Privacidade/Termos | Ajuda/Perguntas Frequentes | Blogue | Loja | APIs | TinyCat | Bibliotecas Legadas | Primeiros Críticos | Conhecimento Comum | 163,112,032 livros! | Barra de topo: Sempre visível