Página InicialGruposDiscussãoExplorarZeitgeist
Pesquisar O Sítio Web
Este sítio web usa «cookies» para fornecer os seus serviços, para melhorar o desempenho, para analítica e (se não estiver autenticado) para publicidade. Ao usar o LibraryThing está a reconhecer que leu e compreende os nossos Termos de Serviço e Política de Privacidade. A sua utilização deste sítio e serviços está sujeita a essas políticas e termos.
Hide this

Resultados dos Livros Google

Carregue numa fotografia para ir para os Livros Google.

The Confessions of St. Augustine: Modern…
A carregar...

The Confessions of St. Augustine: Modern English Version (Paraclete Living… (edição 1986)

por Bishop of Hippo Saint Augustine (Autor)

MembrosCríticasPopularidadeAvaliação médiaMenções
18,835142186 (3.93)441
One of the most influential religious books in the Christian tradition recalls crucial events in the author's life: his mid-4th-century origins in rural Algeria; the rise to a lavish lifestyle at the imperial court in Milan; his struggle with sexual desires; eventual renunciation of secular ambitions and marriage; and recovery of his Catholic faith.… (mais)
Membro:melfward
Título:The Confessions of St. Augustine: Modern English Version (Paraclete Living Library)
Autores:Bishop of Hippo Saint Augustine (Autor)
Informação:Paraclete Press (1986), 326 pages
Colecções:A sua biblioteca
Avaliação:
Etiquetas:Nenhum(a)

Informação Sobre a Obra

The Confessions of St. Augustine por Saint Augustine

  1. 51
    The Six Enneads por Plotinus (jpers36)
    jpers36: Plotinus was a major influence on Augustine.
  2. 32
    Early Christian Lives (Penguin Classics) por Carolinne White (Utilizador anónimo)
  3. 54
    Surprised by Joy: The Shape of My Early Life por C. S. Lewis (2below)
    2below: For anyone interested in exploring spiritual autobiographies, C. S. Lewis' is worth checking out. Unlike Augustine, who covers the entire span of his life from birth to his conversion in adulthood, Lewis focuses on his childhood and young adult years and how his experiences during this time shaped the development of his spiritual life as he got older. I found Lewis' book a much quicker read than Augustine's, though both are very good.… (mais)
  4. 00
    The Blank Slate: The Modern Denial of Human Nature por Steven Pinker (PlaidStallion)
    PlaidStallion: Although he was in favor of abstinence, he admitted how difficult it was for him. As for The Blank Slate:


    The longest-standing right-wing opposition to the sciences of human nature comes from the religious sectors of the coalition, especially Christian fundamentalism. Anyone who doesn’t believe in evolution is certainly not going to believe in the evolution of the mind, and anyone who believes in an immaterial soul is certainly not going to believe that thought and feeling consist of information processing in the tissues of the brain.

    The religious opposition to evolution is fueled by several moral fears. Most obviously, the fact of evolution challenges the literal truth of the creation story in the Bible and thus the authority that religion draws from it. As one creationist minister put it, “If the Bible gets it wrong in biology, then why should I trust the Bible when it talks about morality and salvation?”

    But the opposition to evolution goes beyond a desire to defend biblical literalism. Modern religious people may not believe in the literal truth of every miracle narrated in the Bible, but they do believe that humans were designed in God’s image and placed on earth for a larger purpose—namely, to live a moral life by following God’s commandments. If humans are accidental products of the mutation and selection of chemical replicators, they worry, morality would have no foundation and we would be left mindlessly obeying biological urges. One creationist, testifying to this danger in front of the U.S. House Judiciary Committee, cited the lyrics of a rock song: “You and me baby ain’t nothin’ but mammals / So let’s do it like they do it on the Discovery Channel” After the 1999 lethal rampage by two teenagers at Columbine High School in Colorado, Tom Delay, the Republican Majority Whip in the House of Representatives, said that such violence is inevitable as long as “our school systems teach children that they are nothing but glorified apes, evolutionized out of some primordial soup of mud.
    … (mais)
  5. 00
    The Book of Margery Kempe por Margery Kempe (Cecrow)
  6. 01
    Holy Bible - Evangelical Heritage Version (EHV) por Wartburg Project (lhungsbe)
  7. 03
    Late Have I Loved Thee por Ethel Mannin (lisanicholas)
    lisanicholas: Mannin's novel is modeled on the real-life spiritual autobiography of St Augustine of Hippo. Read the original!
  8. 05
    The Public Hating {short story} por Steve Allen (satanburger)
    satanburger: CONFESSIONS 6.8 (you'll see the similarities)
A carregar...

Adira ao LibraryThing para descobrir se irá gostar deste livro.

Ainda não há conversas na Discussão sobre este livro.

» Ver também 441 menções

Mostrando 3 de 3
Este é um manual de intolerância, de santa intolerância é certo, mas intolerância de qualquer modo. Agostinho tem indubitavelmente o dom da palavra. Provavelmente em latim estes textos serão quase poéticos. Porém a argumentação de Agostinho é muito fraca porque é tendenciosa. Tal argumentação serviu de base à teologia medieval, construída por outros santos intolerantes como Agostinho.
A maior parte dos leitores desatentos julgam que Agostinho foi um debochado na sua juventude e que é esses pecados que ele aqui confessa. Quem assim pensa, não compreendeu nada. O Agostinho da juventude estava muito longe da moral normal dos jovens abastados desse tempo e ninguém, nem os seus inimigos, o consideravam o debochado. O grande pecado de Agostinho foi ter conhecido a doutrina cristã na infância através da mãe e posteriormente ter-lhe virado costas – talvez fosse a fase de lucidez da sua vida. Repare-se no tratamento literário dispensado à mãe cristã e ao pai ateu – de que nem sabemos o nome. De igual modo, a mãe de Adeodato também nunca é nomeada, sem que Agostinho a acuse de qualquer falha de carácter ou moral para além de não ser cristã. O tratamento que Agostinho dá às mulheres com excepção da mãe, prova duas coisas – era misógino e o menino mimado da mamã.
Ao longo de toda a obra, tempo e espaço estão sujeitos à oposição entre a cidade de deus e a cidade dos homens. Poucos dados objectivos são relativos ao tempo e ao espaço da narrativa. Ambos são usados como pretexto.
Para Agostinho o tempo tem importância por si, ao passo que o espaço só aparece em consequência da matéria.
O sexo está implícito em toda a obra, mas apenas duas vezes está explícito (395). O sexo é a fonte de todos os pecados. Só no matrimónio e com vista à procriação é lícito. Mas virtuoso só é o celibatário.
Antes de uma atitude gnosológica tem de estar uma atitude de fé.
Livre -arbítrio é a capacidade que o homem tem de decidir por si. Liberdade é viver de acordo com os valores do bem, da virtude e do belo (Deus).
Se a culpa é dos homens, o sadismo é dos deuses (Jean Marie Domnache).
As confissões são o tema, não o assunto abordado. Este é antes o louvor a Deus. Mas, após a conversão não há mais confissões, só há louvor a Deus. Porquê? Não terá Agostinho consciência de ter pecado depois disso, ou terá antes consciência que esses pecados são mais gravosos?
A edição é tendenciosa como se pode observar quer pela introdução quer pela natureza das notas, pelo que é de esperar que a tradução também o tenha sido. Além disso, o próprio autor só escreveu o que achou que devia ser escrito, o que servia a sua finalidade.
Em conclusão, este é um manual de intolerância, de santa intolerância é certo, mas intolerância de qualquer modo. ( )
  CMBras | Aug 23, 2021 |
«O êxito, o valor e a sedução das Confissões estão sobretudo no facto de nelas Santo Agostinho confessar com sinceridade, humanismo e flagrância os problemas da sua vida de homem religioso e atormentado, que são afinal os problemas de todos nós. As suas dúvidas, interrogações e repostas, sendo ecos da vida humana, reflectem também ecos da nossa vida e por isso permanecem vivas e actuais.»
Lúcio Craveiro da Silva, S.J.
«Talvez que a mais profunda actualidade de Agostinho resida, justamente, no seu fantástico e sublime anacronismo. Queremos dizer, na sua incompatibilidade profunda - ao menos na aparência - com a pulsão cultural que domina hoje não apenas o Ocidente mas o mundo inteiro.»
Eduardo Lourenço
  Jonatas.Bakas | Apr 25, 2021 |
Este é um manual de intolerância, de santa intolerância é certo, mas intolerância de qualquer modo. Agostinho tem indubitavelmente o dom da palavra. Provavelmente em latim estes textos serão quase poéticos. Porém a argumentação de Agostinho é muito fraca porque é tendenciosa. Tal argumentação serviu de base à teologia medieval, construída por outros santos intolerantes como Agostinho.
A maior parte dos leitores desatentos julgam que Agostinho foi um debochado na sua juventude e que é esses pecados que ele aqui confessa. Quem assim pensa, não compreendeu nada. O Agostinho da juventude estava muito longe da moral normal dos jovens abastados desse tempo e ninguém, nem os seus inimigos, o consideravam o debochado. O grande pecado de Agostinho foi ter conhecido a doutrina cristã na infância através da mãe e posteriormente ter-lhe virado costas – talvez fosse a fase de lucidez da sua vida. Repare-se no tratamento literário dispensado à mãe cristã e ao pai ateu – de que nem sabemos o nome. De igual modo, a mãe de Adeodato também nunca é nomeada, sem que Agostinho a acuse de qualquer falha de carácter ou moral para além de não ser cristã. O tratamento que Agostinho dá às mulheres com excepção da mãe, prova duas coisas – era misógino e o menino mimado da mamã.
Ao longo de toda a obra, tempo e espaço estão sujeitos à oposição entre a cidade de deus e a cidade dos homens. Poucos dados objectivos são relativos ao tempo e ao espaço da narrativa. Ambos são usados como pretexto.
Para Agostinho o tempo tem importância por si, ao passo que o espaço só aparece em consequência da matéria.
O sexo está implícito em toda a obra, mas apenas duas vezes está explícito (395). O sexo é a fonte de todos os pecados. Só no matrimónio e com vista à procriação é lícito. Mas virtuoso só é o celibatário.
Antes de uma atitude gnosológica tem de estar uma atitude de fé.
Livre -arbítrio é a capacidade que o homem tem de decidir por si. Liberdade é viver de acordo com os valores do bem, da virtude e do belo (Deus).
Se a culpa é dos homens, o sadismo é dos deuses (Jean Marie Domnache).
As confissões são o tema, não o assunto abordado. Este é antes o louvor a Deus. Mas, após a conversão não há mais confissões, só há louvor a Deus. Porquê? Não terá Agostinho consciência de ter pecado depois disso, ou terá antes consciência que esses pecados são mais gravosos?
A edição é tendenciosa como se pode observar quer pela introdução quer pela natureza das notas, pelo que é de esperar que a tradução também o tenha sido. Além disso, o próprio autor só escreveu o que achou que devia ser escrito, o que servia a sua finalidade.
Em conclusão, este é um manual de intolerância, de santa intolerância é certo, mas intolerância de qualquer modo. ( )
  CMBras | Mar 18, 2021 |
Mostrando 3 de 3
sem críticas | adicionar uma crítica

» Adicionar outros autores (126 possíveis)

Nome do autorPapelTipo de autorObra?Estado
Saint Augustineautor principaltodas as ediçõescalculated
Baaren, Th.P. vanTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Barrois, Georges A.Introduçãoautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Blumbergs, IlmārsIlustradorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Boulding, MariaTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Bourke, Vernon J.Introduçãoautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Chadwick, HenryTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Charpentier, ...Prefácioautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Dillon, DianeArtista da capaautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Dillon, LeoArtista da capaautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Dolç, MiquelTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Fuller, David OtisEditorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Gardiner, Harold C.Introduçãoautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Gemme, Francis R.Introduçãoautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Gibb, JohnEditorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Hansone, LauraTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Helms, Hal M.Tradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Hudleston, RogerEditorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Labriolle, Pierre deTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Lelen, J. M.Editorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Matthew, TobieTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Mayes, BernardNarradorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Montgomery, WilliamEditorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Neer, Joost vanautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
O'Donnell, James J.Tradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
O'Donnell, James J.Commentaryautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
O'Donnell, James J.Introduçãoautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Outler, Albert CookTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Pilkington, J. G.Tradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Pine-Coffin, R. S.Tradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Pusey, Edward B.Tradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Rītups, ArnisPosfácioautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Rodríguez de Santidrián, PedroPrefácioautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Rodríguez de Santidrián, PedroTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Rotelle, John E.Editorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Ryan, John KennethTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Shedd, William G. T.Editorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Sheed, F. J.Tradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Vessey, MarkEditorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Warner, RexTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Watts, WilliamTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado
Wijdeveld, GerardTradutorautor secundárioalgumas ediçõesconfirmado

Belongs to Publisher Series

Está contido em

Contém

É resumida em

Tem como estudo

Tem de autenticar-se para poder editar dados do Conhecimento Comum.
Para mais ajuda veja a página de ajuda do Conhecimento Comum.
Título canónico
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Título original
Títulos alternativos
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Data da publicação original
Pessoas/Personagens
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Locais importantes
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Acontecimentos importantes
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Filmes relacionados
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Prémios e menções honrosas
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Epígrafe
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
An allegorical interpretation of the first chapter of Genesis (Book XIII)
Dedicatória
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
dedicated to parentibus meis
Primeiras palavras
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
You are great, O Lord, and greatly to be praised: great is your power and to your wisdom there is no limit.
You are great, O Lord, and very worthy of praise; mighty is your power and your wisdom is immeasurable.
'Vast are you, Lord, and vast should be your praise' - 'vast what you do; what you know beyond assaying.'
Great art Thou, O Lord, and greatly to be praised;  great is Thy power, and of Thy wisdom there is no number.   [tr. F. J. Sheed]
Citações
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
It became clear to me that things which are subject to corruption must be good, for if they were perfect, or not good at all, they could not be corrupted.
Corruption is an agent of harm but if it is not taking away from what is good, it is causing no harm.
Who remembers the sins of my infancy? ... What were my sins? Did I bawl too loudly for the breast?
As an adolescent I had prayed ... "Give me chastity and give me control over myself, BUT NOT YET".
Últimas palavras
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
(Carregue para mostrar. Atenção: Pode conter revelações sobre o enredo.)
(Carregue para mostrar. Atenção: Pode conter revelações sobre o enredo.)
(Carregue para mostrar. Atenção: Pode conter revelações sobre o enredo.)
Nota de desambiguação
Editores da Editora
Autores de citações elogiosas (normalmente na contracapa do livro)
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
Língua original
Informação do Conhecimento Comum em inglês. Edite para a localizar na sua língua.
DDC/MDS canónico
Canonical LCC

Referências a esta obra em recursos externos.

Wikipédia em inglês (5)

One of the most influential religious books in the Christian tradition recalls crucial events in the author's life: his mid-4th-century origins in rural Algeria; the rise to a lavish lifestyle at the imperial court in Milan; his struggle with sexual desires; eventual renunciation of secular ambitions and marriage; and recovery of his Catholic faith.

Não foram encontradas descrições de bibliotecas.

Descrição do livro
Resumo Haiku

Capas populares

Ligações Rápidas

Avaliação

Média: (3.93)
0.5 3
1 34
1.5 9
2 87
2.5 21
3 263
3.5 62
4 396
4.5 46
5 514

É você?

Torne-se num Autor LibraryThing.

Penguin Australia

3 edições deste livro foram publicadas por Penguin Australia.

Edições: 014044114X, 0143039512, 0143105701

Bridge Logos

Uma edição deste livro foi publicada pela Bridge Logos.

» Página Web de informação sobre a editora

Recorded Books

Uma edição deste livro foi publicada pela Recorded Books.

» Página Web de informação sobre a editora

Tantor Media

Uma edição deste livro foi publicada pela Tantor Media.

» Página Web de informação sobre a editora

 

Acerca | Contacto | LibraryThing.com | Privacidade/Termos | Ajuda/Perguntas Frequentes | Blogue | Loja | APIs | TinyCat | Bibliotecas Legadas | Primeiros Críticos | Conhecimento Comum | 164,532,012 livros! | Barra de topo: Sempre visível