Página InicialGruposDiscussãoExplorarZeitgeist
Pesquisar O Sítio Web
Este sítio web usa «cookies» para fornecer os seus serviços, para melhorar o desempenho, para analítica e (se não estiver autenticado) para publicidade. Ao usar o LibraryThing está a reconhecer que leu e compreende os nossos Termos de Serviço e Política de Privacidade. A sua utilização deste sítio e serviços está sujeita a essas políticas e termos.
Hide this

Resultados dos Livros Google

Carregue numa fotografia para ir para os Livros Google.

Poesia Basca - Das Origens À Guerra Civil -…
A carregar...

Poesia Basca - Das Origens À Guerra Civil - Ed. de Bolso 1ª Ed.2009

por Fábio Aristimunho Vargas (Autor)

MembrosCríticasPopularidadeAvaliação médiaDiscussões
313,497,849 (4)Nenhum(a)
Membro:Adriana_Scarpin
Título:Poesia Basca - Das Origens À Guerra Civil - Ed. de Bolso 1ª Ed.2009
Autores:Fábio Aristimunho Vargas (Autor)
Informação:
Colecções:A sua biblioteca
Avaliação:****
Etiquetas:espanhola, poesia, owned

Informação Sobre a Obra

Poesia Basca- Das Origens à Guerra Civil por Fábio Aristimunho Vargas

Adicionado recentemente porPedroZimerman1, Adriana_Scarpin, griscat
Nenhum(a)
A carregar...

Adira ao LibraryThing para descobrir se irá gostar deste livro.

Ainda não há conversas na Discussão sobre este livro.

Grande livrinho que concatena com maestria a veia poética basca da Idade Média à geração pré-Franco, incluindo o original em basco além da tradução e notas sobre os autores.
Um exemplo da qualidade de sua antologia é este Salvat Monho:

"Baco não quer altar nem quer admiração.
Para os homens deixou somente uma instrução:
o vinho sem a água à vontade beberem,
se da morte manter-se a distância quiserem.

Se pensam que viver se reduz a existir,
felizes vamos ser e um bom gole ingerir.
Pois não sabemos como a vida prolongar,
deixemo-nos beber se o coração mandar.

Se alguém se dá ao trabalho, então não perca a vez:
o copo está vazio, pode enchê-lo outra vez.
Gozar, até esquecer o que nos aborrece
e as lembranças ruins que ninguém esquece.

Bebamos outra vez; é como sói dizer:
que dois copos depois, o terceiro é um dever.
E se esse coração no fundo ainda é triste,
talvez o quarto copo enfim o reconquiste."
( )
  Adriana_Scarpin | Jun 12, 2018 |
sem críticas | adicionar uma crítica
Tem de autenticar-se para poder editar dados do Conhecimento Comum.
Para mais ajuda veja a página de ajuda do Conhecimento Comum.
Título canónico
Título original
Títulos alternativos
Data da publicação original
Pessoas/Personagens
Locais importantes
Acontecimentos importantes
Filmes relacionados
Prémios e menções honrosas
Epígrafe
Dedicatória
Primeiras palavras
Citações
Últimas palavras
Nota de desambiguação
Editores da Editora
Autores de citações elogiosas (normalmente na contracapa do livro)
Língua original
DDC/MDS canónico
Canonical LCC

Referências a esta obra em recursos externos.

Wikipédia em inglês

Nenhum(a)

Não foram encontradas descrições de bibliotecas.

Descrição do livro
Resumo Haiku

Capas populares

Ligações Rápidas

Avaliação

Média: (4)
0.5
1
1.5
2
2.5
3
3.5
4 1
4.5
5

É você?

Torne-se num Autor LibraryThing.

 

Acerca | Contacto | LibraryThing.com | Privacidade/Termos | Ajuda/Perguntas Frequentes | Blogue | Loja | APIs | TinyCat | Bibliotecas Legadas | Primeiros Críticos | Conhecimento Comum | 164,605,353 livros! | Barra de topo: Sempre visível